4 de mar de 2011

Caixa Econômica Federal recebe projetos da Avenida Ponte Grande

.
.
.

O prefeito Renato Oliveira, Renatinho, repassou na tarde da última segunda-feira, 28, os projetos de implantação da avenida Ponte Grande e da ampliação da rede coletora de esgoto em Lages para superintendência regional da Caixa Econômica Federal.

O prefeito Renato Oliveira, Renatinho, repassou na tarde da última segunda-feira, 28, os projetos de implantação da avenida Ponte Grande e da ampliação da rede coletora de esgoto em Lages para superintendência regional da Caixa Econômica Federal. Estas obras estão inclusas no Programa de Aceleração do Crescimento. Até o dia 31 de maio os projetos devem ser analisados pela Caixa Econômica para que os serviços de infraestrutura sejam efetivamente contratados.

A avenida Ponte Grande terá mais de seis mil metros de extensão e compreenderá da avenida 31 de Março, entre os bairros Guarujá e São Sebastião, até a rua Cirilo Vieira Ramos, entre o Caça e Tiro e Habitação. "A avenida Ponte Grande terá duas vias de tráfego mais uma de estacionamento, ciclovia e passeios", explicou o prefeito Renatinho.

Já ampliação do sistema coletor de esgoto prevê mais 98 km de rede. Neste conjunto de obras de saneamento básico estão previstas mais três Estações de Tratamento de Esgoto, uma entre os bairros Caroba e Santa Mônica, outra no Araucária e mais uma no Caça e Tiro. "São obras orçadas em R$ 83 milhões que com certeza causarão um pouco de transtorno, mas os benefícios serão bem maiores para a população", disse o prefeito.

Avenida ligará 13 bairros de Lages


Seis quilômetros de extensão, desafogando o trânsito da cidade de leste a oeste por 13 bairros que receberão rede de esgoto sanitário e obras de contenção de enchentes.

Assim é o projeto da Avenida Ponte Grande, que terá um custo de R$ 62 milhões. Os recursos são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), que até o final deste mês, informa se aprova ou não a obra.

A avenida deve iniciar no Bairro Guarujá, cruzar ruas e outras avenidas até chegar ao bairro Caça e Tiro, nas proximidades da estação de tratamento de esgoto da Semasa.

A transposição da avenida Ponte Grande se dará na BR-282 por meio de um viaduto, obra já prevista no projeto das marginais daquela rodovia federal.

O secretário municipal de Planejamento, Flaubert Zanetti, informa que o primeiro projeto da Ponte Grande está pronto e protocolado junto ao Ministério das Cidades.

O próximo passo é organizar o projeto executivo. “Este também está sendo realizado,”explica osecretário.

Dos R$ 62 milhões previstos, R$ 37 milhões devem ser investidos na implantação da avenida, que seguirá o leito do rio.

As pistas serão construídas nas margens, a exemplo da Avenida Carahá. Outros R$ 25 milhões serão investidos no saneamento básico dos bairros cortados pela avenida Ponte Grande. Ao todo as obras devem se estender por três anos.

Algumas famílias precisarão ser realocadas e indenizadas antes de as obras iniciarem. Zanetti explica que um levantamento está sendo executado para apontar exatamente a quantidade de famílias e a situação de cada uma.

“Não temos um número exato de famílias que serão indenizadas e removidas para outras áreas. Estamos em estudos,” relata.

O secretário alerta que os locais atingidos estão sendo fiscalizados, para evitar que ninguém tente se instalar nas margens do rio para depois pedir indenizações junto ao poder público.

Assim que o projeto for aprovado e os recursos liberados pelo Governo Federal, o próximo passo de acordo com Zanetti, será iniciar o processo de licitação para contratar uma empresa para prestar os serviços.

“O projeto está bem substanciado e a defesa foi realizada junto aos técnicos do ministério, os quais nos repassaram que há todas as condições de ser aprovado” diz Zanetti.

Até o final do mês de setembro sairá a resposta dos municípios cadastrados com projetos nacionais que serão beneficiados com os recursos do PAC 2. “Temos grandes chances de sermos contemplados”, fala.

Além da obra da Avenida Ponte Grande, Lages protocolou junto a vários ministérios projetos para a conclusão do saneamento básico da cidade e para o financiamento de casas populares no bairro Ferrovia.

Oportunistas tentam lograr donos de imóveis


A obra da construção da Avenida Ponte Grande sequer iniciou e oportunistas tentam ganhar dinheiro fácil.

Eles procuram as famílias que residem em áreas afetadas pela obra. Oferecem valores baixos pelosimóveis e sabem que depois da construção os terrenos valerão bem mais.

Muitas ruas sofrem com problemas de alagamentos e desavisados, os moradores acabam vendendo o terreno acreditando que estão fazendo um bom negócio.

É o que aconteceu com a proprietária de um terreno no bairro Caravaggio Margarete de Liz. “Tentaram me fazer acreditar que o lote valeria apenas R$ 1.500 e que vendendo seria um bomnegócio devido ao problema de alagamento,” explica.

Segundo ela, se tratava de um advogado que compraria o lote para criação de gado. “Ele só não entendeu que o lote é próximo da rua, o que seria difícil manter o gado, agora com a melhoria certamente não irei vender”, relata.

O secretário de Planejamento, Flaubert Zanetti, diz que com a valorização do local os moradores devem estar atentos aos interesses alheios.

“Isto é inevitável, os espertinhos vão tentar oferecer valores baixos, pois sabem que após arevitalização o que hoje vale pouco, depois passará a valer mais”, orienta.

A divulgação que a obra está bem encaminhada para execução faz com que os menos favorecidos se deixem levar por pequenas quantias oferecidas.

“Instruir as famílias, não cabe à prefeitura e nem ao poder público, a compra e venda de casas e terrenos nos locais é dever de cada um,” conclui Zanetti.

Saiba quais os bairros que serão revitalizados


Guarujá
Gethal
São Miguel
Caravaggio
Caça e Tiro
Popular
Várzea
Ferrovia
Habitação
Jardim Cepar
Santa Maria
São Sebastião
Dom Daniel

Fonte: Imprensa de Lages/RML

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente essa notícia.